Rapaz não teria participado da morte dos policiais civis de Natal se o sistema carcerário funcionasse

Revista Deguste
Pedro Lucas da Silva

Segundo a polícia, Pedro Lucas da Silva fugiu de Alcaçuz e um mês depois participou da morte de 2 policiais

 

Um dos rapazes acusados de atirar e matar dois policiais no dia 3 deste mês já é reincidente em crimes e, inclusive (acho isso o mais importante), é fugitivo da penitenciária de Alcaçuz.

Ou seja, se ele estivesse preso no sistema carcerário estadual, os policiais civis talvez tivessem melhor sorte.

Segundo a polícia, Pedro Lucas da Silva Álvares, de 23 anos, nascido em Goiânia/Go, é fugitivo de Alcaçuz desde 03 de agosto, exatamente um mês antes da emboscada que matou os policiais civis.

Depois de fugir de Alcaçuz, ele passou a viver tranquilamente ali na Cidade Alta, convivendo normalmente com as pessoas de bem que todos os dias trabalham e vivem ali. No dia seguinte à morte dos policiais, ele deixou a Cidade Alta e passou a viver no Alecrim, onde foi preso este fim de semana pela  Divisão de Combate ao Crime Organizado – DEICOR, que é um organismo do aparato da Segurança Pública do Rio Grande do Norte.

A Polícia Civil divulgou que ele foi localizado no final da tarde de sábado, e tentou fugir pulando muros, subindo nos telhados das residências próximas ao local da sua prisão, ocasião em que foi alvejado com um tiro na perna.  Pedro, segundo a polícia, estava usando documento de identidade falso em nome de outra pessoa.

Ele confessou que no ultimo dia 03, juntamente com Marcos Aurélio Amador Alves e Gilmar da Cruz Silva, conhecido pelo apelido de Curau, ter participado da emboscada que matou dois policiais civis na localidade de Taborda em São José do Mipibu.

Pedro Lucas disse que no dia 02 de setembro, ele e os seus comparsas roubaram uma caminhonete S10, num assentamento próximo à cidade de Tangará e guardaram a caminhonete roubada numa granja abandonada na localidade de Taborda, retornando para buscá-la no dia 03, junto com Marcos Aurélio e Gilmar, numa caminhonete L200, Triton, de cor branca, quando avistaram uma viatura da polícia civil, tendo então descido da L200 junto com Marcos e Gilmar para emboscar os policiais.

 

Foto: Polícia Civil do Rio Grande do Norte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *