Micarla, a TV Ponta Negra e a eleição de 2014

Compartilhe Viagens

Uma curiosidade minha é saber como alguns políticos vão tratar a prefeita Micarla de Souza em 2014.

Sim…porque muitos deles vão precisar da força da mídia em época de eleição.

Nós, do povo, podemos xingar, reclamar, denunciar, fazer chacota, desabafar nossa insatisfação com tantas notícias ruins que a Prefeitura emanou nos últimos quatro anos. E não foram poucas.

Mas, os políticos, que precisam do voto e do acesso a quem vota, não.

Em 2014, a lembrança do desastre da administração de Micarla ainda estará bem viva na cabeça de muita gente.

Mas Micarla e sua família continuarão tendo o controle da TV Ponta Negra, um trampolim importante para candidaturas eleitorais por ser vitrine para a audiência de milhares de eleitores das camadas populares. Gente mais vulnerável à influência dos discursos dos candidatos com identidade popular.

E, embora o desgaste de hoje seja sem precedentes, em dois anos os corações magoados e a opinião pública afrontada já estarão mais calmos. Os dedos em riste menos raivosos.

E o que hoje é fato odiento se tornará lembrança. Lembrança política, que é a mais frágil que pode existir.

A TV Ponta Negra, contudo, continuará forte e com muita audiência. E é provável que continue com os mesmos donos: Micarla e sua família, o que os coloca como atores decisivos para algumas candidaturas a deputado, senador e a governador.

Sozinha, a TV Ponta Negra já fez um Senador da República (Carlos Alberto de Souza – pai de Micarla), um vereador (esqueci o nome dele agora porque faz tempo que ele desapareceu da política), e três políticos da geração mais recente: a própria Micarla (que foi vice-prefeita, deputada estadual e prefeita), um deputado federal (Paulo Wagner) e um deputado estadual (Gilson Moura).

E em 2014 a TV Ponta Negra continuará sendo líder de audiência popular tanto quanto é hoje.

Minha curiosidade é saber quais políticos estarão contra e quais precisarão da ajuda da TV de Micarla e sua família em 2014.

Thaisa Galvão aconselha a Governadora: “Depois de Micarla, Rosalba pode ser a próxima”

Revista Deguste

A jornalista Thaisa Galvão, dona do blog mais bem sucedido entre os veículos de comunicação mantidos por jornalistas que atuam na internet em Natal, divulgou comentário em que aconselha a governadora Rosalba Ciarlini a tomar cuidado para não ocorrer com ela o mesmo que aconteceu com a prefeita Micarla de Souza, que foi afastada pela Justiça a pedido do Ministério Público.

 Após um longo texto onde informa que ouviu muitos juristas e que estes não entenderam, até agora, qual o motivo jurídico para a prefeita ter sido afastada, a jornalista finaliza:

É bom que a governadora Rosalba Ciarlini comece a dar uma guinada na sua gestão e recupere seus índices de reprovação que já passam de 75%…

Ela pode ser a próxima…”

Thaisa é muito bem informada porque muitas fontes a procuram para divulgar o que querem que todos saibam.

Ela sabe o que fala e não ia dar uma informação assim tão contundente à toa.

Nota da Prefeita Micarla de Souza após o resultado da eleição

Compartilhe Viagens

Micarla de Souza emitiu nota após a eleição de Carlos Eduardo:

Gostaria de cumprimentar a todos os cidadãos e cidadãs, eleitores e eleitoras natalenses pela demonstração de civilidade e apreço à Democracia, dada no dia de hoje quando foram às urnas para mais uma vez escolher o nosso prefeito.

Aproveito para cumprimentar o prefeito eleito, desejando que seja intérprete da vontade popular e que, ao longo de sua administração,  logre êxito nos projetos com que se comprometeu em implantar ou dar continuidade e que possa, assim, atender aos anseios de toda a população.  

 

Que ele governe sem ódio, com o olhar voltado para o futuro desta terra tão especial e que receba o apoio de todos quantos possam contribuir.

Rogo, enfim, a Deus para que cubra de bênçãos o nosso futuro governante. 

Natal, 28 de outubro de 2012 

Micarla de Sousa 
Prefeita de Natal

Justiça manda botar fogo nos remédios que as gestões de Carlos Eduardo e Micarla deixaram estragar

Revista Deguste

O Juiz de Direito da 9ª Vara Criminal da Comarca de Natal, Kennedi de Oliveira Braga, deferiu pedido do Ministério Público Estadual, através da 41ª Promotoria de Justiça,  e determinou a incineração dos remédios vencidos apreendidos que estão armazenados no galpão anexo ao Departamento de Logística e Suporte (DLS), da Secretaria Municipal de Saúde, na avenida Antônio Basílio, 694, Dix-Sept Rosado, em Natal.

A ação criminal de que trata os remédios diz respeito a denúncia oferecida pelo MP contra os ex-secretários de saúde Maria Aparecida França, Edmilson de Albuquerque Júnior, Ana Tânia Lopes Sampaio e Thiago Barbosa Trindade e outros gestores cujas responsabilidades pelo problema dos medicamentos restaram devidamente caracterizadas.

Além desta ação que tramita na 9ª Vara Criminal de Natal, ajuizada pela Promotoria do Meio Ambiente, o Ministério Público do Rio Grande do Norte também atuou neste caso através da 62ª Promotoria de Justiça da Comarca de Natal, com atribuições na defesa da saúde, devido aos usuários que deixaram de ter acesso aos medicamentos ou insumos da saúde em razão do material perdido que foi possível contabilizar, quase 20 toneladas de medicamentos e insumos, pedindo

Alguns nomes importantes da Câmara que não se reelegeram

Compartilhe Viagens

Vários nomes importantes da Câmara de Vereadores na atual legislatura não conseguiram se reeleger. Dois deles muito ligados à prefeita Micarla de Souza: Edivan Martins e Enildo Alves.

Outros destaques que não tiveram votos suficientes para permanecer na vereança foram Assis Oliveira e Sargento Regina.

Rogério, Hermano e Mineiro não querem o segundo turno. Pelo menos é esta a minha impressão

Revista Deguste

Pelo que ouvi agora de manhã cedo nos programas de rádio dos candidatos Fernando Mineiro, Rogério Marinho e Hermano, nenhum deles quer que a eleição de Natal chegue ao segundo turno. Dos três, o único que atacou a liderança incontestável de Carlos Eduardo (50% nas pesquisas) foi Rogério Marinho – mesmo assim de uma forma sutil, logo no início do programa, sugerindo que o natalense não CAIA NA ARMADILHA DO PRIMEIRO TURNO.

Tirando isso, os três programas foram quase iguais: insossos e com aquela mesma ladainha de sempre, ora falando mal da gestão de Micarla (o que é um discurso inócuo, porque Micarla não é candidata a nada mesmo), ora dizendo que vão melhorar a saúde, a educação, a segurança… blá, blá, blá; como se as pessoas fossem votar nessas promessas e planos de governo de melhoria social.

Não vão.

As pessoas, pelo menos o eleitorado contemporâneo (aquele da vida real), vai votar por paixão ou antipatia. Por cargos, amizade, pressão familiar, por serem bacurau, por serem arara. Porque a música do candidato soa melhor. Porque a aparência dele no horário eleitoral  passa mais confiança. Ninguém vai votar porque esse ou aquele candidato está prometendo  “fomentar e incentivar a produção artístico-cultural da área e as ações institucionais que darão suporte ao correto ordenamento da área”, ou outro discurso generalista qualquer.

Tanto Rogério e Hermano, quanto Mineiro, estão investindo prestígio, tempo, sacrifício pessoal (e de suas famílias), e muito dinheiro em suas campanhas. Se a eleição acabar no primeiro turno, de nada adiantou alardear que seu programa tem boa intenção quanto ao futuro de Natal

Então, baybe, se eles querem mesmo que o pleito prossiga, é bom os três postulantes esquecerem essa história de falar ao vento sobre suas propostas de melhoria do bem comum e passar a fazer a política mais pragmática e tentar levar a eleição para o segundo turno. E a única alternativa neste momento é minar a liderança do mais bem avaliado nas pesquisas.

Por enquanto, Carlos Eduardo está vencendo, nas pesquisas e no programa eleitoral  do rádio.

 

Os buracos, o lixo e as lições da gestão Micarla de Souza

Compartilhe Viagens

Buraco de rua em área nobre de Natal

Carro cai em buraco na Zona Norte de Natal

Carro cai em buraco na Zona Norte de Natal

Duas lições simples (maassss, aliadas daqueles com boa memória) ficam claras nesses três anos e meio da gestão da prefeita Micarla de Souza:

1 – Pouco importa o quanto o gestor alardeie o que fez por educação e saúde. Pura retórica. O que pesa de verdade no imaginário da população na hora de avaliar uma gestão, se prestou ou não prestou, são os buracos nas ruas e a sujeira nas calçadas (principalmente nos bairros de classe média e classe média alta), onde estão os grupos sociais determinantes em uma eleição municipal. (Aldo Tinoco ainda é lembrado pela buraqueira e Wilma ainda é lembrada pelos canteiros pintados nas ruas e as flores de Marilene Dantas).

Buracos nas ruas afetam todo mundo: o rico na BMW, o pobre no Kadett 98 e o trabalhador que anda de ônibus por necessidade. Quanto ao lixo…acho desnecessário explicar o mal que ele proporciona (à cidade e ao gestor).

Em relação à educação e a saúde PÚBLICAS, faz tempo que a classe média paga atendimento médico especializado e escola particular do filho; então, esses problemas cada vez afetam menos o dia-a-dia da classe mais educada e melhor remunerada, aquela que forma opinião.

Lição 2 – Deixar queimar a reputação de aliados (como a gestão de Micarla fez com muitos dos seus secretários, a começar pelo descente Cézar Revoredo, um dos primeiros assessores a ser vítima das frituras que o sistema micarlista efetuou) só ajuda a construir desconfiança, afastando os bem intencionados e atraindo os oportunistas, que tem nada ou pouco a perder.