Sebrae divulga relação dos projetos aprovados em edital Economia Criativa 2017

Compartilhe Viagens

32 projetos foram aprovados na terceira versão do Edital de Economia Criativa, que vai investir em forma de apoio a iniciativas culturais até R$ 250 mil. Foram 133 inscritos em processo de seleção feito pelo Sebrae RN.

A próxima etapa do edital, que é a fase de negociação das contrapartidas para implementação do projeto, começa nesta quarta-feira (19) e prossegue até o dia 21, começando com os segmentos de Editoração e Audiovisual. O resultado pode ser conferido no Portal do Sebrae (www.rn.sebrae.com.br) na seção Licitações e Editais.

Veja a lista dos projetos aprovados goo.gl/XeooBb

 

Curso ensina dono de negócio turístico a gerenciar redes sociais

Revista Deguste

Para ajudar proprietários de agências de viagens e de outros negócios turísticos a conquistarem um bom posicionamento nas mídias sociais, O Sebrae/RN promoverá o curso ‘Gestão de Mídias Sociais: Facebook e Instagram na Prática’, nos dias 1 e 2 de agosto.

O curso é resultado de uma parceria entre o Sebrae no Rio Grande do Norte e a Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav-RN) e está alinhado com as estratégias do projeto Destinos Turísticos Inteligentes (Smart Destination).

A capacitação será realizada na sede do Sebrae, das 18h às 22h, e vai mostrar como os empresários podem utilizar as duas redes sociais para atrair o público desejado, vender os serviços e atingir bons resultados. A professora do curso será Marta Poggi, conhecida por ministrar cursos e palestras pelo Brasil a profissionais do segmento de turismo, abordando temas como marketing digital, tendências, mídias sociais e inovação. Atua como consultora do Sebrae e da Abav, além de atender a várias empresas e destinos turísticos nacionais e internacionais.

A inscrição custa R$ 70,00 (associado da Abav tem um desconto e paga apenas R$ 50,00) e pode ser feita pela internet no site www.iccabav.com.br/. Os interessados podem obter mais informações pelos telefones 84 3222-3125 e 99613-0111.

Empreendedores podem pedir restituição do imposto do Simples online

Compartilhe Viagens

Microempreendedores Individuais (MEI) e donos de pequenos negócios que são optantes do Simples Nacional já podem solicitar a restituição de tributos que foram pagos indevidamente ou em valor maior do que o devido. O pedido pode ser feito no site da Receita Federal, pelo endereço http://idg.receita.fazenda.gov.br/interface/lista-de-servicos/simples-nacional/optante-simples/pedido_eletronico_de_restituicao

Desde o dia 30 de junho, a Receita disponibilizou a possibilidade de pedir o ressarcimento de forma totalmente on-line.

Após o pedido eletrônico do contribuinte, o procedimento de auditoria do crédito e do pagamento da restituição estará concluído em até 60 dias da data do pedido. É possível ainda fazer a solicitação ou acompanhar o andamento da mesma no Portal do Simples Nacional.

Com informações do SEBRAE RN

Empresas familiares predominam no mercado potiguar, diz Sebrae

Revista Deguste

Mais da metade das empresas de micro e pequeno porte no Brasil são familiares, ou porque tem sócios com algum grau de parentesco ou por ter alguém da família dos proprietários como funcionário. 52% dos pequenos negócios do país têm esse perfil. No Rio Grande do Norte, as empresas com parentes representam 42% dos negócios de pequeno porte, o maior percentual registrado entre todos os estados. A constatação é de um estudo feito pelo Sebrae e divulgado nesta semana, mostrando a realidade da gestão das empresas brasileiras. O levantamento revela ainda que, curiosamente, quanto maior o porte do negócio, maior é a participação de familiares. A pesquisa, realizada no fim do ano passado, ouviu 6.617 empresários desse segmento.

O estudo indicou que um quarto dos entrevistados têm como sócio algum familiar e pouco mais de um quinto das empresas tem algum empregado que é parente de algum dos sócios da organização. Negócios entre familiares tendem a gerar uma relação de confiança, o que leva muitos empreendedores a envolver pessoas da família, seja como sócios ou mesmo como empregados.

Contudo, é fundamental ter alguns cuidados para evitar conflitos e erros históricos, como misturar o financeiro da empresa com as finanças pessoais, não remunerar adequadamente o empregado por ser um membro da família, oferecer função incompatível com o perfil profissional e conceder privilégios ao parente, em detrimento dos demais funcionários.

Sebrae RN ensina empreendedores a tocar a empresa

Compartilhe Viagens

SEI.Divulgação.Reprodução

Empreendedores de Natal têm a oportunidade de começar o segundo semestre se preparando para gerir melhor a empresa  para as vendas de fim de ano ou para expandir os negócios. O Sebrae no Rio Grande do Norte promove, no período de 24 a 29 deste mês, o módulo Sei Tocar a Minha Empresa, um conjunto com cinco oficinas SEI (SEI Planejar, SEI Empreender, SEI Comprar, SEI Vender e SEI Controlar Meu Dinheiro) que traz soluções práticas para  áreas importantes da empresa. As oficinas serão ministradas das 18h às 22h e as inscrições podem ser feitas pelo 0800 570 0800. É possível fazer cada oficina individualmente. Mas, o módulo completo sai ao valor de R$ 80,00.

Serviço:
http://portal.rn.sebrae.com.br
http://www.facebook.com/SebraeRN
http://www.twitter.com/SebraeRN
Call Center: 0800 570 0800
Agência Sebrae de Notícias (ASN-RN): 84 3616-7911

Senai e Sebrae lançam 7º Ciclo do Inova Moda

Revista Deguste

INOVA-MODA-INVERNO-2018-UTOPIAS-modaworks.Reprodução

O Sebrae no Rio Grande do Norte e o Senai lançam, hoje, 26 de junho, o sétimo ciclo do projeto Inova Moda. O lançamento será no auditório da Fiern, a partir das 19h, com a palestra da designer de moda Jady Rocha, que vai abordar a temática do projeto ‘Utopias’, apresentando aos profissionais e empresários ligados ao setor as macrotendências para o inverno do próximo ano. Além da palestra, o projeto é composto de atividades práticas que serão desenvolvidas ao longo da semana. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo 0800 570 0800. As vagas são limitadas.

MEI inadimplente poderá parcelar débitos a partir de julho

Compartilhe Viagens

Os débitos acumulados até maio do ano passado pelo não pagamento do boleto mensal poderão ser parcelados em até 120 meses. Mais de 54% dos microempreendedores potiguares estão inadimplentes.

A decisão veio na resolução 134 do Comitê Gestor do Simples Nacional (CGSN), que foi publicada no Diário Oficial da União no último dia 16. O prazo para solicitar o pedido de parcelamento começa no dia 3 de julho. Dos 94.787 negócios formalizados nessa categoria jurídica no Rio Grande do Norte, 54,4% estão inadimplentes com o Fisco. Isso representa um universo superior a 47 mil empresas.

Poderão ser parcelados os valores de boletos vencidos até maio do ano passado. O empreendedor que optar pelo parcelamento, terá o valor de cada parcela mensal, por ocasião do pagamento, acrescido de juros equivalentes à taxa Selic calculados a partir do mês subsequente ao da consolidação até o mês anterior ao do pagamento, e de 1% (um por cento) relativamente ao mês em que o pagamento estiver sendo efetuado. A parcela mensal, no entanto, não pode ser inferior a R$ 50,00.

Com informações do Sebrae RN

Dica do Sebrae: Pequenas empresas podem lucrar mais ao evitar o desperdício

Compartilhe Viagens
Lorena Roosevelt gerente da Unidade de Desenvolvimento da Indústria do Sebrae-RN

Lorena Roosevelt gerente da Unidade de Desenvolvimento da Indústria do Sebrae-RN

Toda vez que um prato que retorna do salão de um restaurante por insatisfação do cliente ou uma lâmpada  fica acessa durante o dia mesmo com excesso de iluminação natural o empresário perde dinheiro. Esses são exemplos claros de como os detalhes podem custar caro, principalmente, para os pequenos negócios. Ao invés de contribuir para aumentar a lucratividade, o desperdício faz a empresa jogar dinheiro no lixo. Na semana que antecede o Dia do Meio Ambiente, comemorado na próxima segunda-feira (5), o Sebrae no Rio Grande do Norte elencou alguns cuidados necessários a quem está à frente de uma pequena empresa para minimizar gastos inúteis em época de crise, aumentar a lucratividade do negócio.

Para se ter uma noção da gravidade, somente no setor industrial, o desperdício equivale a 11% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil pelos cálculos do governo. “De forma geral, o setor industrial é marcado, infelizmente, pelo desperdício, que poderia ser evitado com revisão de processos. É um desafio para as empresas desse segmento repensarem o desperdício no início do processo, e não na ponta, onde já está acumulado o resíduo”, analisa a gerente da Unidade de Desenvolvimento da Indústria do Sebrae-RN, Lorena Roosevelt.

Embora sem estatísticas, nos demais setores, esse mal se revela no comprometimento a competitividade da empresa. O caminho é adotar práticas sustentáveis dentro da empresa e redobrar o cuidado contra o desperdício. ‘”A política de combate ao desperdício otimiza recursos e matérias primas, reduz custos de produção e aumenta os lucros de empresas de qualquer setor”, enfatiza a gerente.

Um dos cuidados tem a ver com o primeiro exemplo citado, o do restaurante. O empresário deve se prevenir contra defeitos em seu produto. Se alguma mercadoria ou serviço for entregue com falhas, as despesas da empresa aumentam porque os funcionários terão que refazer o produto, o que demanda tempo e dinheiro. O ideal é investir em treinamentos e estabelecer um padrão na operação de equipamentos e atividades, com a definição de métodos, sempre buscando melhoria nos processos.

Da mesma forma que os defeitos, a superprodução também representa um risco. Produzir mais do que é capaz de vender pode ser muito ruim para a empresa. Significa desperdício de material e tempo. O empresário precisa ter cuidado com as políticas de metas de produção. O Sebrae recomenda que empreendedor estabeleça um planejamento de acordo com a real demanda do empreendimento.

Uma área que também merece atenção é o estoque. Mercadorias acumuladas podem ser perdidas por erros de armazenagem e prazo de validade vencido, além de demandarem espaço e esforço para administrá-las. Planeje a compra de materiais e a produção de acordo com a demanda, baseando-se em estatísticas confiáveis de venda e controle de estoque. Estoque excessivo significa dinheiro parado.