A sangria, o mergulho, a Montilla e o peixe

Compartilhe Viagens
Menino comemora o fim da seca pulando na Barragem Pepeta, em Campo Grande

Menino comemora o fim da seca pulando na Barragem Pepeta, em Campo Grande

Ontem fui a Campo Grande, antigo município de Augusto Severo, testemunhar o fim da seca naquele município. Junto com o fotógrafo-blogueiro Canindé Soares, fui recepcionado pelo vereador Nilson Júnior e a esposa dele, delegada de Polícia, Sheila Freitas, que são do município e estão interessados em divulgar as possibilidades econômicas da região.

Na barragem Pepeta, comunidade do Campo de Aviação, e na sangria dos Gabrieis, no Açude do Morcego, capturei algumas imagens com o celular. Por elas você pode imaginar a alegria do sertanejo ao reencontrar a água que há muito estava faltando.

Cada morador, diante da enchente, age de forma bem particular. Alguns, alegres, pulam de ponta cabeça arriscando o pescoço. Outros, mais festivos, chamam os amigos, compram garrafas de Montilla, galinha torrada, farofa e…já viu

Outros, empreendem. Vi vários sertanejos aproveitando para pescar e vender o fruto da pesca para arrecadar em dinheiro

Sangria reuniu a população de Campo Grande na Barragem Pepeta

Sangria reuniu a população de Campo Grande na Barragem Pepeta

Vereador Nilson Júnior, de Campo Grande, admira sangria na barragem dos Gabrieis, no Açude do Morcego

Vereador Nilson Júnior, de Campo Grande, admira sangria na barragem dos Gabrieis, no Açude do Morcego

 

Turma atravessa parede da Barragem da Pepeta para comemorar a enchente na outra margem

Turma atravessa parede da Barragem da Pepeta para comemorar a enchente na outra margem

O fotógrafo Canindé Soares procurando o melhor ângulo para mais uma foto na Barragem da Pepeta

O fotógrafo Canindé Soares procurando o melhor ângulo para mais uma foto na Barragem da Pepeta

Sertanejo que até uma semana atrás sofria com a seca, agora pesca no semi árido potiguar

Sertanejo que até uma semana atrás sofria com a seca, agora pesca no semi árido potiguar

Barragem dos Gabrieis no Açude do Morcego: onde havia desespero, hoje há água corrente e pesca

Barragem dos Gabrieis no Açude do Morcego: onde havia desespero, hoje há água corrente e pesca

 

Uma ideia sobre “A sangria, o mergulho, a Montilla e o peixe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *