Diego Vale defende um olhar novo para Caicó preservar suas tradições saudáveis

Revista Deguste

26994363_1594717200622890_3420900805033261246_n

O melhor sabor de Caicó são suas tradições.
A alegria das festas e a boa culinária.
O aprimoramento do bordado, do artesanato e do boné.
Nossos laços de família, amizades e parcerias.
Por muitos fatores já conquistamos o RN e o Brasil!

Contudo, é hora de entender que a dinâmica social, econômica e política exige o equilíbrio entre o tradicional e o novo. Como se pode preservar e inovar? Compreender o que nos dá identidade e projeção. Em que e em quem apostar.

O mundo e a sociedade brasileira estão passando por muitas mudanças. Nem todas elas são saudáveis! Não vale a pena adotá-las. Mas outras inovações são muito bem vindas e por elas nós temos que lutar.

A mudança na qual me vinculei há alguns anos e na qual estou mais dedicado neste momento é a modernização da forma da sociedade se relacionar com a máquina pública. O modelo atual faliu! Sem melhorar a máquina pública, a gente não cuida de gente. Não funciona a saúde; não afasta o desassossego que chegou devido aos altos índices de insegurança; não gera emprego.

Se falta gestão de pessoas, não existe eficiência de gestão. Cenário de recursos sempre escassos e transparência falha. É improrrogável dialogar e articular com a gente que faz a iniciativa privada. Deve-se priorizar a gente que é usuária do serviço público. Políticas públicas nascem de demandas do povo e não de apostas do gestor, senão serão ralos a mais no orçamento.

Também há as más tradições. Não vale a pena continuar insistindo. Só teremos prejuízos. Ciclos de fecham!

Diego Vale. Empreendedor caicoense. Mestrando em Gestão Pública

Seridó ganha espaço no projeto do Solidariedade

Compartilhe Viagens
Kelps, Fernando e Magnólia juntos em 2018

Kelps, Fernando e Magnólia juntos em 2018

Filiado ao Solidariedade, o advogado Fernando Antônio Bezerra já participa da agenda de encontros regionais do partido, ao lado de Kelps Lima, pré-candidato ao Governo, e Magnólia Figueiredo, pré-candidata ao Senado.

Fernandinho é pré-candidato a deputado estadual e mais um nome disposto a representar o Seridó na Assembleia. “Ficamos felizes por ele ter aceitado o convite. É um dos nomes mais preparados para o legislativo”, destaca Diego Vale, coordenador do Solidariedade Seridó.

Secretário de desenvolvimento econômico de Caicó também será palestrante na Escola de Jovens Líderes

Revista Deguste
Diego é secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Caicó

Diego é secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Caicó

Especialista em Marketing político no Rio Grande do Norte, o secretário de desenvolvimento econômico de Caicó, Diego Vale, será um dos palestrantes do segundo módulo da Escola de Jovens Líderes.

Coordenadores do Partido Solidariedade de SP do Potengi, Caicó e Encanto defendem candidatura própria ao Senado

Compartilhe Viagens

Sem título-1 (2)

O Partido Solidariedade possui coordenadores em várias regiões do Rio Grande do Norte. Gente nova, que começou a fazer política há pouco e não tem vínculo com os grandes grupos tradicionais. Alguns desses coordenadores estarão no Encontro Regional de Mossoró que a legenda fará no próximo sábado, 10 de junho, tendo como cicerone o ex-vereador mossoroense Soldado Jadson, presidente local do partido.

Uma das pautas do Encontro é discutir a viabilidade do Solidariedade ter candidato próprio ao Senado Federal, apresentando ao Estado uma opção de voto que não seja alguém dos mesmos grupos tradicionais, que há 30 anos controlam o poder no Estado e colaboraram para o RN chegar à situação lastimável que se encontra hoje.
Os coordenadores Diego Vale (atual secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Caicó), o vereador Diogo Alves (de São Paulo do Potengi), e a psicóloga Lídia Guedes, (ex-candidata a vice-prefeita representando os jovens da cidade de Encanto, na região Oeste), defendem um nome próprio do Solidariedade para disputar contra Garibaldi e José Agripino as vagas no Senado.

“Estamos firmes na ideia de que o RN precisa mudar. Ou muda ou continuaremos vivendo esse sofrimento que estamos passando hoje: hospitais ruins, segurança batendo recordes negativos e educação sem o estímulo necessário. Para mudar em um ambiente político tão desfavorável, é preciso coragem. Ter candidatos próprios na eleição de 2018 é um ato de coragem do partido”, contextualiza o deputado Kelps Lima, presidente estadual do Solidariedade.