Kelps convida Senadores e Deputados Federais do RN para audiência pública sobre morte de policiais

Ao ser informado do assassinato de mais um policial militar ocorrido na terça-feira, 8 de maio, na Grande Natal, contabilizando 13 mortes de PMs só neste ano de 2018 no Rio Grande do Norte, o deputado Kelps Lima convocou para o próximo dia 22 de maio, às 14h30min, uma terça-feira, uma audiência pública na Assembleia Legislativa para que autoridades e a sociedade civil discutam medidas práticas de proteção às vidas dos policiais.

“Precisamos defender quem nos protege”, disse Kelps, revelando o temor de que a série de assassinatos seja mais do que apenas reflexo do aumento desenfreado da violência que se estabeleceu no Estado com a ascensão do Governo Robinson.

“Neste momento, precisamos tirar a sociedade apenas da fase do protesto para iniciar um momento de providências. E para isso precisamos de orientação de especialistas e da caneta dos ordenadores de despesa de todas as esferas do Estado”.

“A polícia é a última proteção da sociedade contra o mal e, inegavelmente, há segmentos sociais que transformaram a depreciação da imagem da polícia em agenda de luta política. Mesmo que a intenção desses grupos pareça boa, involuntariamente essa agenda contra a polícia prejudica o sossego da população de uma forma em geral. Não podemos apenas observar isso. Neste momento, precisamos criar um cinturão de direitos humanos a favor dos policiais. Eles estão sendo alvos de bandidos agindo deliberadamente para enfraquecer a lei. Na audiência pública, inclusive, vamos enviar convites para deputados federais e senadores de Brasília para que eles venham até a Assembleia e digam como podem ajudar a trazer recursos que melhorem o aparelho policial potiguar”, disse Kelps.

José Agripino comenta processo do Mensalão

Revista Deguste

Através de sua assessoria de imprensa, o senador José Agripino Maia (RN), presidente nacional do Democratas, classificou o processo do chamado caso Mensalão como “grande e ardiloso”.

Para o senador, essa é uma “votação histórica e eu tenho muita confiança de que o STF valorizará, em primeiro plano, as nossas instituições. A sociedade brasileira está atenta à votação. Acredito que milhões de brasileiros esperam um julgamento rigoroso a fim de que se estabeleça uma marca histórica contra a impunidade e a corrupção no Brasil”

 

Fonte: Assessoria de Imprensa