Design e comida: dá para ganhar mais dinheiro juntando os dois.

Revista Deguste

Para ensinar os empreendedores potiguares a usar o design a favor das empresas que vendem alimentação fora do lar…

Designer bem feito ajuda a bares, restaurantes e docerias a vender mais.

Design bem feito ajuda restaurantes e docerias a vender mais.

…o Sebrae no Rio Grande do Norte promove a palestra ‘Design para Pequenos Negócios de Alimentação fora do Lar’. A palestra será realizada na próxima segunda-feira (7), às 14h30, na sede da instituição, em Natal. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo 0800 570 0800.

Governo não pretende atender pleito dos donos de retaurantes

Compartilhe Viagens

Os donos de restaurantes de Natal querem que o Goveno do Estado baixe o ICMS ao mesmo patamar de Estados vizinhos, concorrentes diretos do RN na captação dos recursos oriundos do turismo.

Uma audiência pública foi realizada no dia 23 de maio, na Assembleia Legislativa, para discutir o tema. O secretário de Tributação do Governo do Estado foi um dos convidados e disse que o Governo não tem como abrir mão dos impostos cobrados dos restaurantes.

Os empresários de bares e restaurantes deixaram claro que a retirada da taxa de 10% de serviço na base de cálculo da cobrança do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e prestação de Serviços- ICMS e a redução da alíquota de 4 para 2% são as saídas para deixar o setor em condições de competitividade com os estados vizinhos.

Mas não houve jeito.

Abrasel-RN lança mapa de bares e restaurantes de Natal

Revista Deguste

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) – Seccional RN lançou o seu Mapa de Bares e Restaurantes. Trata-se de um mapa de bolso onde está marcada a localização de todos os associados da Abrasel na região metropolitana de Natal-RN.

De acordo com o presidente da Abrasel – RN, Max Fonseca, o material é encontrado em todos os estabelecimentos associados no Rio Grande do Norte, nos hotéis associados da ABIH e nos principais locais frequentados por natalenses e turistas.

O ano de 2012 tem sido um período complicado para os donos de restaurantes de Natal

Compartilhe Viagens
Este ano de 2012, definitivamente, não tem sido dos melhores para a gastronomia natalense. Não chega a ser um ano perdido. Mas há pouco o que comemorar. Foi um período complicado para donos de restaurantes, porque houve muitas oscilações de mercado, o que demandou mais esforço, sacrifício e habilidade dos empresários da área para ajustarem as suas operações.
 A queda no número de turistas, em Natal, prejudicou o fluxo nos restaurantes e no comércio de uma forma geral. Notícias negativas em setores econômicos e na administração pública prejudicaram não só o crescimento, mas também a autoestima da cidade.
 É verdade que a Europa, emissora de visitantes que vinham gastar dinheiro em nossa Natal, está em crise. E isso reflete nos bares e restaurantes. Mas é verdade, também, que Natal falhou na recepção dos poucos que vieram para cá. Faltou o carinho adequado para com a nossa infra-estrutura e ninguém quer passar as férias em destino turístico precário.
No entanto, não há período ruim que não se encerre e com seu fim cheguem os bons ventos da prosperidade. E é isso que se espera de 2013. Que ele traga de volta o brilho que a cidade já teve.
O setor de alimentação é um dos que mais emprega em Natal, movimentando uma rede que beneficia muitos: o vendedor de milho para a pipoca, o sorveteiro artesanal, garçons, maîtres, cozinheiros, motoristas que fazem entregas de mercadorias e uma infinidade de outras atividades laborais que você, sentado em uma glamorosa mesa de restaurante, ajuda a financiar todas às vezes que sai de casa com a família para comer fora.
Enfraquecer o setor de alimentação é enfraquecer a economia do Rio Grande do Norte inteira.
(Transcrito do Editorial da Revista Deguste Edição Novembro de 2012 – http://issuu.com/revistadeguste/docs/deguste_nov_2012)